A lei exige que empresas possuam um endereço para o CNPJ mas nem todas alugam um ponto comercial para se regularizar ou utilizam o endereço de suas residências.

Ter um endereço comprovado é inerente ao trato fiscal. No entanto, usar o endereço da residência ou abrir um ponto comercial não é mais necessário aos micro-empreendedores e nem às startups. A nova escapatória é usufruir do endereço fiscal – um serviço oferecido para pessoas físicas ou jurídicas que pretendem abrir sua empresa.

As vantagens do endereço fiscal são muitas. Ele é ideal para empresas que precisam provar a existência física ou jurídica aos órgãos privados ou públicos. Garante maior agilidade e também permite que o endereço comercial seja divulgado no contrato social ou nas repartições federais, estaduais e públicas.

Por um custo baixíssimo, é, principalmente, a preferência das empresas que não possuem alto capital de investimento.

A Receita Federal ou Receita Estadual exigem um endereço e, dependendo do negócio, o aluguel de uma sala comercial não traz tantas vantagens. O endereço fiscal também pode ser usado para fins de reuniões extras ou recebimento de correspondências. Muitas vezes, os serviços de secretárias e atendimento também podem ser contratados junto ao endereço.

Mas, fica a dúvida: quem pode usufruir desta nova estratégia que é aprovada financeiramente e, também, pela praticidade? Os que moram de aluguel e o proprietário não permite abrir uma empresa no endereço residencial. Aqueles que optam pela privacidade e não querem sua casa confundida com um ambiente de negócios. Ou os que possuem escritório de cobrança em outra cidade e precisam de um endereço de correspondência.

Saiba como contratar um endereço fiscal próprio e seguro para sua empresa.


Top